Estudantes têm experiência em documentação na inauguração do Memorial Rondon

A inauguração do Memorial Rondon e da quadra coberta da Escola Estadual Rural Santa Claudina, no distrito de Mimoso-MT, momento muito aguardado pela comunidade local, foi documentado por uma equipe especial – um grupo de estudantes do projeto “Educomunicação, ciência e outros saberes: um estudo do trabalho colaborativo em narrativas transmídias”. O evento ocorreu na manhã da última quarta-feira (24) e teve a presença da população local, de visitantes, militares do Exército e da Polícia Militar e de diversas autoridades, entre elas o governador do Estado, Pedro Taques.
No decorrer do evento foi realizada uma aula de campo com um grupo de estudantes, do sexto ano do ensino fundamental ao segundo ano do ensino médio, participantes do projeto, desenvolvido pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em parceria com a Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso (Seduc) e realizado em escolas de Cuiabá e do interior. A partir da utilização dos aparelhos celulares foram realizadas entrevistas com as autoridades e parentes do Marechal Rondon, presentes na ocasião.
A experiência serviu de estímulo para os alunos, que aproveitaram a oportunidade para aplicar os conhecimentos teóricos das oficinas oferecidas no projeto. Segundo a estudante do segundo ano, Alynne Neves, a experiência foi “uma maneira diferente de observar o evento. Foi possível praticar as técnicas passadas nas oficinas e fazer vídeos e fotos muito interessantes. Espero que a gente tenha outras oportunidades como essa”.

A estudante do primeiro ano do ensino médio da Escola Santa Claudina, de Mimoso, entrevistou o governador Pedro Taques e a aluna do segundo ano, da mesma escola, Thamilly Pinho, entrevistou o senhor João Benedito da Silva, 93 anos, primo em segundo grau do marechal Rondon (veja fotos tiradas pelo grupo de participantes do projeto).

O Memorial
O Memorial Rondon foi idealizado no governo Dante de Oliveira, em 1997, sendo sua construção iniciada apenas em 2001. O autor é o professor da UFMT, José Afonso Portocarrero, pesquisador da arquitetura indígena. O projeto, considerado um marco para o turismo da região, demorou quinze anos para ser concluído. No local serão abrigadas atividades culturais, educacionais e comunitárias, além de exposição permanente do trabalho documental fotográfico “Paisagens de Rondon” de Mario Friedlander.

(Texto: Monique Fogliatto, estudante do curso de Comunicação Social – Jornalismo, integrante do projeto)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *